PROIBIDO

Samil: Em quê idioma está escrito?

“Los carteles están escritos en gallego, portugués e inglés para que lo entienda el mayor número de turistas posible” afirma o Faro de Vigo duns cartazes que como se pode ver estão em castelhano (grande), galego e inglês (pequeno).
Claro que o Faro entende que o galego é um dialecto do castelhano, polo que os cartazes podem estar principalmente em castelhano e nesta ocasião fazer coincidir com o galego, salvando assim o molesto expediente.
Se considerarmos junto com a opinião científica unânime e o sentido comum que o galego e português são a mesma língua, o nosso idioma está colocado junto às línguas estrangeiras: nós somos turistas nas nossas praias? Ou é que temos que deixar claro aos portugueses que isto é Espanha e eles estão no estrangeiro?
Se o galego (ou português) estivesse numa posição principal, não só informaríamos e receberíamos melhor aos visitantes e nativos. Também dignificaríamos a nossa língua. Evidentemente não foram essas a intenções de quem oficializou o castrapinho há 30 anos, e que o ano que vem receberá o homenagem da RAG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>