Arquivo da tag: Cabral

A foto do vômito

A foto do vômito

A empresa Eurofund tem um plano complementar para devastar e rapinar o monte de Cabral. Para além do suborno à corporação municipal e ao governante PPSOE, quer ter uma imagem limpa e inclusive caritativa. Deste jeito vendem a Vigo que são as novas irmãzinhas da caridade, após que as do Bairro do Cura foram enviadas ao quinto pino.
Minutos depois de se reunirem com a máfia marula do auto-denominado “clube financeiro”, fumarem lá uns charutos, tomarem uns brandis, e botarem umas risas com os amos da aldeia enquanto desenham como vai ser o seu Vigo, foram tirar uma foto com o presidente da Confederação Galega de Pessoas com Deficiência.
Não estenderam um cheque, nem domiciliaram recibos por valor de 20 euros como fazem outros: a sua apertada agenda não lhes permitiu mais que a foto. Por isso outros colectivos de exclusão social (imigrantes, indigentes, doentes…) que eles denominam dentro das suas reuniões como “pobretões” não puderam ter a honra de se fotografar com eles, com os Amos.
Não tinham tempo para mais.

Não se equivoque, Alcaide

Abel Caballero continua o seu teatro. Se antes era Romeu namorado de Julieta-PP apesar dos lustros de inimizade das famílias, agora quer converter-se no personagem que vende a sua alma ao diabo em favor de Vigo.
O clássico da literatura universal entregou a Satanás a sua salvação eterna em trocas de algo que considera superior: o amor da sua namorada. Que salvação e que felicidade pode ter quem não tem o amor da sua vida? A nobreça e humanidade do acto emociona,..
Mas também há quem faz o pauto-do-demo movimentado polo desejo de obter êxito na sua vida terrenal: nos negócios, no poder… Aqui nos vamos aproximando mais ao papel (ou papelão) de Abel Caballero.
Não se equivoque, Alcaide: você não vende a sua alma em trocas de um interesse superior. Você vende Vigo aos satânicos especuladores e depredadores para se manter no poder.
Você acreditou no conto de que a “recuperação” está aí, à volta da esquina enquanto na sua cidade cada vez são mais os que sofrem e ficam sem futuro.
Você acreditou no conto de que Vigo é uma cidade só industrial, e consente na destruição do futuro do nosso rural e da nossa beira-mar.
Você acredita na Grande Epopéia Viguesa, que como a Conquista do Far West está cheia de mitologia e mentiras. Não foi um Vigo empreendedor e trabalhador quem levantou o capitalismo na cidade. Foi uma camarilha privilegiada por Franco e que trocou entre ela favores e financiamento, com o seu amigo Gayoso como diretor de orquestra, e que converteu a nossa cidade numa sucursal do afundido capitalismo espanhol e o abalante capitalismo francês.
Não nos venda Alcaide. Deixe viver a gente que mora na grande parte do território de Vigo. Deixe que continuem as suas vidas. Talvez os necessitemos para lhe dar à cidade um futuro verdadeiramente sustentável.